Serve-se um olhar mundano e libertino. Serve-se uma arrogância sonhadora e juvenil. Serve-se uma ironia coerente e um humor valorativo. Serve-se tradição e modernidade. Serve-se na condição humana, Brinda-se com a casmurrice pessoal!

07
Dez 07

Numa entrevista à Única publicada já há algumas semanas, mas que só recentemente li, concordo com o caricato e aparatoso Vasco Pulido Valente quando diz que:

 

“ (Algumas) pessoas em Portugal gozam de total impunidade. Escrevem um livro e se alguém vem dizer que o livro é mau, tentam intimidar. Disseste mal de mim? Então és bêbado! Ou mais sofisticado: és invejoso.”

 

Principalmente:

 

“Não percebem que se discute o livro e não quem o escreveu.”

 

Infelizmente, uma filosofia que não se aplica só a grandes obras no nosso país, mas até em simples projectos diários.


publicado por Casmurro às 23:27

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

Discutir a obra

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO