Serve-se um olhar mundano e libertino. Serve-se uma arrogância sonhadora e juvenil. Serve-se uma ironia coerente e um humor valorativo. Serve-se tradição e modernidade. Serve-se na condição humana, Brinda-se com a casmurrice pessoal!

23
Mai 06

Green Street Hooligans ou Rebeldes de Bairro em portugês, foi um filme que vi este fim-de-semana e que me surpreendeu bastante pela positiva.

Mais que um filme que conta a história de um finalista em jornalismo de Harvard, que se vê expulso a pouco tempo de se licenciar, sem ter culpas no cartório, e que se vê repentidamente envolvido num mundo de violência e de hooliganismo, este foi um filme no qual identifiquei uma narrativa muito bem conseguida, e uma mensagem muito bem passada e concretizada na produção do filme.

Para além da realidade descrita que me cativou, não só por estar relacionada ao futebol, mas por ser uma realidade pouco dada a conhecer, o filme traduz uma mensagem de "saber lutar" por aquilo que realmente queremos e precisamos, sonhamos, e de "saber parar, de sacrificar" o que por vezes obstinadamente queremos, pelo bem dos que nos rodeiam, e para nosso próprio bem, no fundo, saber porquê e quando lutar por algo e o momento de para.

Este foi um filme que ficou muito perto de entrar para a galeria dos meus filmes preferidos, quem sabe com um segundo e diferente visionamento, o que traduz bem o quanto positivamente o filme me surpreendeu. Assim quando tiverem um tempinho livre, e não souberem que filme ver, aqui têm uma bela sugestão...



(conscientes claro do muito pouco que o hooliganismo traz ao espectáculo futebolístico e a desporto em geral)

"Oh, listen to this. This is our song:

They reach the sky

And like my dreams they fade and die

Fortune's always hiding

I've looked everywhere

I'm forever blowing bubbles

Pretty bubbles in the air

United!

United! United! "

publicado por Casmurro às 00:36

Maio 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
24
25

29
30


pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO