Serve-se um olhar mundano e libertino. Serve-se uma arrogância sonhadora e juvenil. Serve-se uma ironia coerente e um humor valorativo. Serve-se tradição e modernidade. Serve-se na condição humana, Brinda-se com a casmurrice pessoal!

21
Out 09

Porque em certos momentos um simples gesto conta mais que uma adornada palavra. Porque em certos momentos é necessário ao Homem, para ser Homem, concretizar as palavras em gestos. Porque em certos momentos nos encontramos parados na vida, dançando para um lado ou para o outro conforme os fios que nos prendem, sem consciência para dar por vontade própria um passo em frente ou dois atrás. Porque em certos momentos dançamos alegremente tolos como uma marioneta.

 

“Na perspectiva anti-iluminista kleistiana, o homem, tendo perdido o seu estado originário instintivo e optado pela razão, viu-se confrontado com uma fractura entre o eu e o mundo, entre o interior e o exterior. A conquista da reflexão significou a perda essencial do seu centro de gravidade. Ora, na dança da marioneta, o gesto conta muito mais que a palavra, porque responde a uma lei e a uma força anteriores (como a beleza evocada por Hölderlin). A dança da marioneta é um acontecimento que torna presente a unidade do Todo, que faz emergir a Graça (a simetria, a mobilidade, a leveza), entendida em sentido estritamente artístico e capaz de restaurar uma condição inicial em que o corpo não possui ainda consciência.”

 

Na crítica de António Guerreiro à obra  de Heinrich von Kleist “Sobre O Teatro De Marionetas E Outros Ensaios”, In Actual Nº 1917.

publicado por Casmurro às 00:01

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO