Serve-se um olhar mundano e libertino. Serve-se uma arrogância sonhadora e juvenil. Serve-se uma ironia coerente e um humor valorativo. Serve-se tradição e modernidade. Serve-se na condição humana, Brinda-se com a casmurrice pessoal!

09
Jun 08

 

Reli no outro dia a conhecida obra de Franz Kafka cujo título este post partilha. É de facto uma pequena grande obra que com uma história simples aborda inúmeros temas sociais. Desde a degradação das relações humanas, à dignidade do trabalho, a questões familiares, ou ainda uma dicotomia bastante interessante entre realidade do que sentimos vs aquilo que os outros pensam que sentimos, entre muitas outras peculiaridades.

Fica mais uma vez a certeza de que um bom livro nos conduz e leva sempre para onde o autor e a sua obra querem, enquanto uma má simplesmente nos empurra.

 

Esta menção literária como prólogo, para vos introduzir uma pequena reflexão que me tem acompanhado ultimamente. O facto de nos metamorfosear-mos em inúmeras situações de vida. É uma realidade!

De facto, como canta Raul Seixas nesse clássico intemporal da música brasileira, gosto que a minha vida seja uma “metamorfose ambulante”, isto é, gosto de “não ter aquela velha opinião formada sobre tudo” ou “poder dizer o oposto do que eu disse antes”. Falsidade ou cinismo? Não! Passo a explicar.

Confesso-me uma pessoa de princípios, de valores, e com uma educação felizmente bastante rica a nível pessoal, emocional e intelectual. É normal porém, que goste de abalar e discutir todo esse conjunto hierárquico que me forma como pessoa, toda essa tradição que já é minha, para assim sair depois ainda mais fortalecido.

Toda esta teoria funciona também com opiniões e ideias de todo o cariz e cultura, a até mesmo com os nossos sentimentos!

Apercebo-me cada vez mais da capacidade humana de metamorfosear aquilo que sente, de o esconder ou retrair, principalmente se a realidade por detrás for complexa e complicada. É uma veracidade quotidiana desde os mais pequenos e insignificantes sentimentos, aos mais fortes e delicados de lidar.

 

Fica esta vontade sentida e casmurra de conseguir lutar por uma sinceridade de sentimentos nesta correria de vida diária de metamorfoses.

 

publicado por Casmurro às 17:59

Todos nós nos metamorfoseamos diariamente, nem que seja pelo simples facto de nos fazer sentir mais fortes.
Acredito que as nossas "máscaras" diárias são uma forma , de algum modo, sobrevivermos ao que nos rodeia.
Mariana a 9 de Junho de 2008 às 18:34

Concordo Mariana.

Aliás, sobre essas "máscaras", e creio que já os leste, escrevi à algum tempo, quando este espaço ainda não existia, dois textos relacionados:

http://estalagemdocasmurro.blogs.sapo.pt/6979.html

e

http://estalagemdocasmurro.blogs.sapo.pt/7289.html

Obrigado por ultimamente partilhares por esta estalagem as minhas casmurrices! =) Espero que continues a aparecer para por esta casa ;) ***
Casmurro a 9 de Junho de 2008 às 18:45

metamorfose é mais que uma simples mudança... por vezes requer que abdiquemos de muito que temos e que nos parece bom, ou pelo menos queremos acreditar que é bom quando de facto é só seguro, é o que conhecemos... e por custar, não nos metamorfoseamos muito...sou a favor d um movimento "pro-metamorfose"! a começar agora =)
Li a 10 de Junho de 2008 às 00:52

"realidade do que sentimos vs aquilo que os outros pensam que sentimos", n será por vezes dificil expressarmo-nos de maneira a q nos entendam da forma q queremos?
... E q ao sermos sinceros nos "passem por cima"? Ja vi situacoes assim... se calhar é por isso q por vezes adoptamos a tal máscara, talvez para protegermos o nosso lado mais frágil... enfim... continua ;) Bjs Nadia
Nádia a 11 de Junho de 2008 às 01:16

Às vezes não podemos mostrar o que sentimos, o que qeremos. Como dizes porque a vida é complexa, porque vivemos em sociedade e como tal as nossas acções vão ter efeito sobre os outros! Ser sincera e honesta com os outros sim... mas também temos que nos saber "proteger"...
abelhinha a 30 de Junho de 2008 às 10:53

Gosto que esta música faça parte de alguns universos!
Adoro a palavra metamorfose!
Acho que se aplica a cada dia das nossas vidas. Todos os dias nos metamorfoseamos perante alguém ou perante alguma coisa, muitas vezes como protecção, outras vezes só porque sim.
Não considero que seja uma forma de fugir à sinceridade/honestidade. Cada um tem a sua forma de sentir e transmitir as coisas... uns preferem proteger-se... outros mostrar tudo. Há quem use mais máscaras e quem use menos... it depends, mas todos as usamos! lol! *
Teresa a 11 de Outubro de 2009 às 03:49

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30


pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO