Serve-se um olhar mundano e libertino. Serve-se uma arrogância sonhadora e juvenil. Serve-se uma ironia coerente e um humor valorativo. Serve-se tradição e modernidade. Serve-se na condição humana, Brinda-se com a casmurrice pessoal!

23
Mai 07

Sábado. Manhã de 19 de Maio de 2007. Alameda da Cidade Universitária.

Que uma bênção de fitas é um momento assinalável, todos nós o sabemos. Que a nossa bênção de fitas é um momento cheio de significado, é algo que descobrimos.

Parece que foi ontem que percorri os primeiros passos pelo campus da UCP de Palma de Cima, para me candidatar a esta mesma universidade, e afinal, já estou a dar passadas ora largas e fortes, ora lentas no meio da confusão, em direcção ao recinto da bênção, seguindo bem de trás do estandarte branco e azul da FCH, e entoando cânticos à poucos segundos inventados, em glorificação da nossa escola.

Foi com certeza um momento inesquecível todo este último sábado. Mas foi um momento particularmente singular, este da bênção.

Para além de todas as circunstâncias da celebração religiosa em si, melhores ou piores vivenciadas, consequência de todo o ambiente em redor de mim, senti-me momentaneamente, como que saído de um filme. De uma daquelas cenas em que, ao som de uma música criteriosamente escolhida para a ocasião, uma personagem qualquer recorda toda a sua vida, enquanto excertos desta passam diante dos nossos olhos.

A pequena diferença é que, em vez de uma música, tínhamos as distintas oferendas de cada faculdade presente a uma instituição de apoio social como pano de fundo, e em vez de toda uma vida, tinha três anos de licenciatura.

Rodeado de tantos rostos conhecidos e tão chegados, passaram pela minha memória tantos momentos especiais à sua maneira deste percurso académico.

O nervosismo e a timidez inicial, as primeiras amizades, as primeiras aulas e os primeiros professores, a descoberta do espaço académico, todas as amizades estabelecidas, todos os conhecimentos travados, todas as notas (boas ou más), todos os trabalhos realizados e todos os colegas de trabalho, todas as raparigas bonitas apreciadas (sozinho, ou em especial com o Jorge e com o Tiago =p lol), todo o esforço dispendido, todas as actividades extra-curriculares, todos os momentos passados fora da universidade com o pessoal da faculdade, todos os rallys, etc etc etc… até ao simples sentimento de olhar em redor e sentir orgulho, veterania, estatuto (lol), e tantos outros momentos passados.

Sinto-me realmente grato por ter escolhido este caminho, e por todas as opções ao longo dele tomado. Sinto-me realizado com esta pequena grande etapa da minha vida. Espero sinceramente que, seja qual for, a caminhada que se seguir, me preencha tão fortemente quanto a sua antecessora!

publicado por Casmurro às 23:54

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
24
25
26

29
30
31


subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO